Acessibilidade nas Paralimpíadas Rio 2016 – S4C Construções

Acessibilidade nas Paralimpíadas Rio 2016

Acessibilidade nas Paralimpíadas Rio 2016

RIO DE JANEIRO, BRAZIL - JUNE 14: A close-up of the gold paralympic medal during the Launch of Medals and Victory Ceremonies for the Rio 2016 Olympic and Paralympic Games at the Future Arena in Olympic Park on June 14, 2016 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Alexandre Loureiro/Getty Images)

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 exigiram que a administração do Rio de Janeiro repensasse a acessibilidade e tornasse pontos turísticos, praias, instalações olímpicas e vias públicas accessíveis para todos os públicos poderem circular com segurança, conforto e autonomia.

A acessibilidade foi envolvida desde os projetos até a etapa de finalização das obras e precisou passar por testes para ter sua qualidade garantida.

Desde o desembarque em aeroportos, pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida temporária ou permanente terão atendimento preferencial. No Rio, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Amazonas e Brasília, os aeroportos receberam o Guia de Direitos e Acessibilidade do Passageiro, que esclareceu todas as medidas que deveriam ser tomadas para receber atletas e turistas com deficiência.

Já o Ministério do Turismo e a Secretaria de Direitos Humanos criaram o Guia Turismo Acessível para ser consultado pelos atletas e turistas em relação aos hotéis, pontos turísticos, restaurantes, parques e outros locais acessíveis.

Especificamente no Rio de Janeiro, a Prefeitura divulgou investimento para várias ações, como por exemplo, 4000 metros quadrados de calçadas acessíveis e 5800 metros quadrados de pavimento em concreto na entrada das principais atrações turísticas da cidade – Pão de Açúcar, Corcovado, Jardim Botânico e praias da Barra da Tijuca e Copacabana.

Além das obras de nivelamento de vias e calçadas, foram feitas instalações de rampas e pisos táteis, retiradas de interferências e readequações de vagas de estacionamento e pontos de ônibus. Somente no Centro foram instaladas 350 rampas e feitos 150 rebaixamentos de calçadas.

No quesito transporte público, os BRTs (Bus Rapid Transit) têm paradas no mesmo nível das estações, pisos antiderrapantes e sinalização sonora e visual. Já o VLT possui piso baixo para cadeirantes e paradas com rampas suaves antiderrapantes.

As arenas e ginásios onde as competições das Paralimpíadas ocorrerão são acessíveis, mas cada um tem suas especificações. No Parque Olímpico, o Comitê Olímpico e a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência fizeram um trabalho com os colaboradores e voluntários por meio de workshops sobre acessibilidade e a importância de todo o público ser atendido com eficiência.

As áreas comuns têm amplos acessos diretos, rampas suaves, rotas acessíveis, elevadores, guias de balizamento, banheiros, comunicação e sinalização táteis, espaços para cadeirantes nas arquibancadas, assentos para obesos, entre outros. Os cães-guia também terão seu espaço reservado logo ao lado do seu dono, uma novidade no Brasil.

 

Veja mais itens de acessibilidade disponíveis:

 

– assentos – todas as instalações onde os Jogos Paralímpicos ocorrerão terão assentos acessíveis;

 

– sanitários – também estarão disponíveis em todos os ginásios. Haverá ainda os sanitários extra-acessíveis, que possuem maca e guincho destinados à transferência de pessoas;  

 

– condução – cadeiras de rodas estão disponíveis para quem precisar utilizá-las para chegar aos assentos. Também poderão ser usadas para condução de deficientes visuais;

 

– empréstimo de cadeira de rodas – haverá este serviço gratuito nos parques olímpicos da Barra e de Deodoro;

 

– armazenamento – carrinhos de bebê não são permitidos nas arquibancadas, portanto, os balcões de informações terão espaço para serem guardados. Além dos carrinhos, cadeiras de rodas, cadeiras motorizadas, bebês conforto e outros equipamentos e objetos poderão ser guardados;

 

– recarga de cadeiras motorizadas – haverá estações de recarga disponíveis, mas cada pessoa deverá ter seus aparelhos em mãos, como cabos e adaptadores;

 

– carrinhos de golfe – algumas instalações terão carrinhos acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida;

 

– sanitário para cães – haverá um espaço dedicado especialmente para o sanitário dos cães-guia, que poderão ser indicados pelos voluntários.

 

Comentários e audiodescrição – Em locais onde a competição precisar de silêncio e houver atletas com deficiência visual, haverá o serviço de Sport Radio, que funciona como uma emissora de rádio, com comentaristas com treinamento em audiodescrição que poderão narrar as competições ao vivo.

            A audiodescrição também estará disponível durante as cerimônias para que todos tenham uma experiência completa. Para ter acesso, basta que a pessoa tenha um dispositivo com frequência FM.

 

Saiba mais: https://www.rio2016.com/acessibilidade

 

 

 

 

 

Fontes:
http://www.sdh.gov.br/noticias/2016/janeiro/brasil-se-prepara-para-receber-atletas-e-turistas-com-deficiencia-nas-olimpiadas-e-paralimpiadas-2016-4
https://www.rio2016.com/acessibilidade
http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/noticias/prefeitura-do-rio-divulga-acoes-de-acessibilidade-para-os-jogos-rio-2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *