Energia limpa: realidade discutida na Cop 21 – S4C Construções

Energia limpa: realidade discutida na Cop 21

Existem vários tipos de energia limpa; confira como são produzidos alguns e veja seus prós e contras  

 

Recentemente (novembro e dezembro de 2015) foi realizada a Conferência do Clima da ONU, a Cop 21, na França, da qual participaram 195 países mais a União Europeia, com o objetivo de chegar a um acordo de diretrizes que conduzam suas ações em relação às mudanças climáticas.

Ainda que um acordo global se mostre difícil de ser integralmente cumprido, os países precisam considerar o início ou andamento de ações que diminuam a emissão de gases que causam o efeito estufa. Exemplo viável disso é a produção de energia limpa – que não libera ou libera poucos gases e resíduos que contribuem para o aquecimento global, tanto na produção quanto no consumo.

 

Confira, a seguir, alguns tipos de energia considerados limpos, suas vantagens e desvantagens:

 

Energia solar

Produzida a partir da energia luminosa do sol transformada em eletricidade, por meio de um dispositivo eletrônico, a célula fotovoltaica. As placas solares também utilizam o calor do sol para aquecer água.

Energia solar é o tema de uma aliança internacional, liderada pela Índia, formada por 121 países localizados nas regiões mais ensolaradas do mundo. Seu objetivo é dividir conhecimento e tecnologia em relação à energia solar, para aumentar sua produção e consumo, tornando-a mais barata e acessível.

Vantagens: a energia do sol é uma fonte inesgotável; os equipamentos usados no processo são de baixa manutenção; chega aonde a energia elétrica comum não vai.

Desvantagens: a produção é interrompida à noite e diminui em períodos de chuva, neve e locais que recebem poucas horas de luz solar.

 

Energia eólica

Um gigantesco cata-vento tem suas pás acionadas pelo vento que, por sua vez, aciona um gerador, e produz a corrente elétrica.

Vantagens: também é uma fonte inesgotável de energia e uma boa alternativa para locais onde a rede elétrica comum não achega.

Desvantagens: para algumas pessoas, um parque eólico é considerado poluição visual, já que é formado por muitos cata-ventos gigantes; alguns também podem se incomodar com o barulho feito pelos cata-ventos; pode haver mortes de pássaros que se chocam contra as pás; e há necessidade de se disponibilizar grandes áreas para a construção do parque eólico.

 

Energia das marés e das ondas (marítima)

Uma turbina é movimentava pelas águas do mar e aciona um gerador de eletricidade. O processo é parecido com o da energia eólica. Esta energia possui bastante potencial, mas foi deixada para trás pelas energias solar e eólica, já que sua exploração comercial é mais difícil.

Vantagens: fonte abundante, pode abastecer milhares de cidades costeiras.

Desvantagens: sua produção é irregular por causa do ciclo das marés e a diferença de nível elas durante o dia deve ser de, pelo menos, cinco metros.

 

Biogás

É a transformação de excrementos animais e lixo orgânico em um mistura gasosa, que substitui o gás de cozinha. A matéria-prima é fermentada por bactérias em um equipamento biodigestor, que libera gás e adubo.

Vantagens: substitui diretamente o petróleo; ajuda a diminuir o lixo orgânico, dando um fim ecológico a ele; gera fertilizante; pode ser gerado pelos produtores rurais, que podem até vender o gás.

Desvantagens: difícil de ser armazenado.

 

Biocombustíveis

Produtos agrícolas (como semente de mamona e cana-de-açúcar), cascas, galhos e folhas de árvores são usados para gerar etanol e biodiesel para veículos, por meio de processos físico-químicos. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais deste tipo.

Vantagens: substitui diretamente o petróleo; os vegetais que são usados na fabricação absorvem CO2 durante o crescimento.

Desvantagens: a produção de matéria-prima ocupa áreas que poderiam ser usadas para outras finalidades, como o plantio de alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *