Política Nacional de Resíduos Sólidos e a construção civil – S4C Construções

Política Nacional de Resíduos Sólidos e a construção civil

Um dos setores que mais contribuem com a economia do País é a construção civil, mas este também é um dos que mais geram resíduos. Para solucionar este problema, há que se descartá-los devidamente, por isso, é importante voltar ao tema da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Instituída pela Lei 12.305/2010, a PNRS tem o objetivo de oferecer diretrizes para que se descarte corretamente os resíduos que, quando não manejados adequadamente, podem provocar problemas de ordens ambiental, social e econômica.

A proposta da PNRS é contribuir para o desenvolvimento da cultura da sustentabilidade, principalmente a redução da geração de resíduos, manejo e destinação corretos, reciclagem e reutilização de materiais.

As últimas duas fazem parte das soluções adotadas pela construção civil que já são realizadas com sucesso. Os resíduos integram a produção de agregados, como areia e brita, e o novo produto pode ser utilizado em pavimentações, contenções de encostas, canalizações de córregos e produção de argamassa e concreto.

Mais do que evitar a exploração de novos recursos, a reciclagem e o reaproveitamento de materiais possibilitam oportunidades de crescimento social e econômico, redução de gastos e melhorias ambientais.

A PNRS prevê que toda a sociedade – dos indivíduos às diferentes esferas de governo – seja responsável por ações que contribuam com suas orientações. Inclui ainda os catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis nas políticas de Logística Reversa e Coleta Seletiva, assim como fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes e cidadãos, além dos órgãos responsáveis pelo manejo dos resíduos.

 

Conforme previsto na PNRS, todos são responsáveis, direta ou indiretamente, pela diminuição da geração de resíduos, a fim de contribuir para preservar os recursos naturais.

Então, confira abaixo uma atitude que você pode tomar em casa mesmo para diminuir seu lixo e, consequentemente, contribuir como cidadão. O meio ambiente agradece!

 

Compostagem orgânica

 

Ótima sugestão para transformar o lixo orgânico em adubo, fortalecer as plantas e ainda diminuir o volume do lixo descartado diariamente.

 

Vermicompostagem – Consiste em usar micro-organismos do solo e minhocas, que se alimentam dos resíduos orgânicos domiciliares, para transformá-los em húmus. Este é um tabu ainda para algumas pessoas, mas o processo é seguro: não libera cheiro nem transmite doenças.

Para fazer a compostagem, caixas são empilhadas e tampadas. Por exemplo: se você usar três caixas, as do meio devem ser furadas para que a última colete todo o líquido (chorume) produzido. A caixa do meio serve como digestora, ou seja, nela coloca-se cerca de 5 cm de húmus e as minhocas. A caixa deve ser alimentada diariamente para que as minhocas e os micro-organismos produzam mais húmus. Quando a caixa estiver cheia, as minhocas migram para a caixa de cima. O húmus produzido está pronto para ser usado.

 

Compostagem seca – Este tipo pode ser feito em um recipiente ou no próprio solo. Os micro-organismos, fungos e bactérias são responsáveis pelo processo, mas o local deve ser úmido e quente. A proporção é de uma porção de lixo orgânico para duas de material seco, como palha e folhas. Se for fazer no solo, abra um buraco de 40 cm de profundidade e 60 cm de diâmetro “forrado” com palha e galhos secos.

 

A quantidade de material orgânico a ser depositado nas composteiras depende do tamanho delas, mas é importante lembrar que nem todo lixo doméstico pode passar pelo processo de compostagem. Os indicados são: borra de café, restos de alimentos cozidos, frutas, legumes, grãos, sementes, casca de ovo e saquinhos de chá.

 

 

Fontes:
http://www.mma.gov.br/pol%C3%ADtica-de-res%C3%ADduos-s%C3%B3lidos
http://super.abril.com.br/blogs/ideias-verdes/qual-a-diferenca-entre-lixao-e-aterro-sanitario/
http://www.ecycle.com.br/component/content/article/44-guia-da-reciclagem/1318-como-o-que-compostagem-composteira-composto-compostar-minhocario-seca-lixo-residuos-restos-comida-organico-humus-domestica-residencial-dicas-duvidas.html
http://sustentabilidade.sebrae.com.br/portal/site/Sustentabilidade/menuitem.98c8ec93a7cfda8f73042f20a27fe1ca/?vgnextoid=7eaf308dee328310VgnVCM1000002af71eacRCRD
 
Foto: Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *